quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

O prognosticar da Ira


Pensamentos que violam o saber,
conduzem almas amordaçadas
com pequenas doses de um amor
inexpressivo.

O nascer da mediocridade sensível;

Ira imprevisível e sem intenção.
Corações esquecidos de um bem
que passou.

No amor insípido, floresce o mêdo
de um real imaginário,
existente dentro de você.

2 comentários:

Tatai disse...

muita subjetividade para um olho cansado...

senti medo?! (perguntando a mim mesma)

Ingridd disse...

expressividade! você tem lido Pessoa e seus heterônimos? Consegue dar à crítica um tom suave. Lindo esse! :]